Loucuras no Espelho

A imagem corporal é a representação daquilo que pensamos que somos, de como nos vemos. E pode ter uma estreita relação com a forma como as pessoas realmente nos veem.

Significa dizer que estamos sujeitas a todos os tipos de distorção de sentimentos internos, como nossas emoções, humor, experiências, atitudes e muito mais.

Cirurgias plásticas, dietas milagrosas e lipoaspirações, cada vez mais mulheres fazem de tudo para tentar atingir o modelo de beleza e ser seguido.

A preocupação com o corpo se transformou numa mania social. Nós nos tornamos uma terra de aparência, impulsionadas a pensar, conversar, planejar e nos preocupar com nossos corpos com a mesma devoção fanática que tivemos ao colocar o homem na lua.

De todas as realizações do século 20 que influenciaram a forma como vemos nossos corpos, nenhuma teve um efeito mais significativo do que a ascensão dos meios de comunicação de massa. Com filmes, revistas, TV e internet, vemos pessoas bonitas tão frequentemente quanto vemos nossa família. A consequência disso é fazer essa beleza parecer real.

Muitas mulheres passaram a não conseguir se ver objetivamente diante do espelho e até o evitam. A maioria vê apenas falhas em pequenos detalhes. Outras ainda veem a gordura e defeitos que costumavam estar lá na adolescência, mesmo sabendo que eles não existem mais.

Loucuras no Espelho

Há mulheres que, quando veem seu reflexo no espelho, aspiram um composto artificial do que ela pensa que seu reflexo deveria ser.

E muitas chegam a pensar que a vida não vale a pena ser vivida quando não combinam com o ideal físico da nossa cultura.

Nossa autoimagem se tornou muito plástica, muito tátil. Crescemos maiores ou menores, em nossa mente, em reação à imagem da mulher que a ordem moderna nos impele a idealizar.

Estamos presas em um mundo de autocrítica corporal obsessiva, onde o que vemos está longe de ser o que realmente somos. Parece que o espelho é a maldição moderna da mulher.

Alguns chamam essa obsessão com a aparência de presunção.

Estamos respondendo ao profundo significado psicológico do corpo. A aparência passou a afetar nosso senso de si mesmas e como os indivíduos reagem a nós.

O que é diferente hoje em dia é que o corpo passou a ser uma parte substancial da nossa autoestima.

Será que tudo isso vale a pena?

Até mais,

Lucas Diniz

Deixe seu comentário. Ele é importantíssimo